O que é sororidade?

Poderíamos falar que sororidade é a união entre mulheres como fonte de força e amizade, mas vai muito além disso…

Sororidade tem origem do latim Renascentista sorõritãs e do termo em latim soror que significa irmã. Sororidade em inglês se fala sorority.

A busca pelo termo tem crescido bastante nas plataformas de pesquisa.

O termo teve um BUM de pesquisas exatamente no mês de junho de 2017, até tentei encontrar o porquê exatamente desse BUM desse mês, porém não encontrei, já que o ano de 2017 foi um ano cheio de movimentos importantes para nós, mulheres.

O que é sororidade?

Além da união entre as mulheres, simplesmente, a sororidade trata-se também do não julgamento entre nós.
A sororidade tem como objetivo manter nós mulheres juntas e fazer com que tenhamos empatia com a outra mulher, independentemente se ela tem os mesmos objetivos de vida que você.
E o mais importante, a sororidade é uma maneira de lutarmos por mais igualdade e acabarmos com a dominação do homem sobre a mulher nos mais diversos segmentos.

Muitos citam a sororidade como um “feminino” para a palavra fraternidade que já é bem conhecida por significar a irmandade entre os homens.

Fomos criadas achando que os homens são mais unidos e as mulheres são falsas, desunidas, mas isso não necessariamente precisa ser assim e muitas vezes, não é.
Essa crença foi algo que foi culturamente implantado em nós e que nos limita de fazer amizade com outras mulheres, nos faz julgar automaticamente outras mulheres por n motivos.

A sororidade vem para nos fazer enxergar a outra mulher com amor e não como concorrente ou inimiga e isso está diretamente ligado ao empoderamento feminino.

Todas nós, mulheres, somos sinônimos de força por tudo que passamos na vida e olhar para uma mulher com amor e empatia é um exercício para que possamos quebrar mais essa crença quanto individuo e sociedade.

 

Onde surgiu a sororidade?

Não encontrei na minha pesquisa, onde a sororidade surgiu efetivamente, mas acredito que mesmo o termo não fosse usado, ela já tinha surgido bem antigamente.

No respeito e a preocupação entre irmãs.

Na união que existia entre as sufragistas.

Na luta pelo movimento a favor do voto e de tantas outras vitórias que as mulheres já ganharam.

Na cumplicidade mostrada nos filmes entre amigas.

O que acontece é que talvez era mostrado para nós, uma sororidade seletiva, onde a mulher só tinha respeito pela outra, até que fosse sua amiga.

E isso não é sororidade.

Sua sororidade é seletiva?

Aqui está o ponto chave da sororidade e porque é tão importante debater e colocar em prática em nossa vida.

Minha geração (nasci em 89) foi criada com uma sororidade, porém seletiva. Quem era do meu grupo era amiga, quem não era já ganhava logo o benefício da dúvida.

Quantas vezes eu não julguei outra mulher por estar vestindo algo diferente do que eu considerava adequado? Ou quantas vezes não fiquei irritada ou com ciúmes de uma outra mulher porque ela estava com o cara de que eu gostava?

E quando era amiga, eu era super amorosa, carinhosa e entendia tudo, mesmo não concordando.

Se identificou? Pois é, acredito que não é que não temos nada de sororidade, mas muitas de nós, tem uma sororidade seletiva que agrega para quem é próxima e exclui quem está fora, quem pensa diferente.

Ter sororidade com quem está perto, com quem você admira é fácil, pois culturamente falando há algo em nós que já está meio que pré-disposto a aceitar mais quem está do lado.

Para mim, essa é a grande chave da questão e o grande salto para que possamos ter SORORIDADE.

É ter amor e empatia com a outra mulher, não julgar e se permitir pensar de maneira mais respeitosa e diferente, pois isso sim é sororidade.

Como praticar a sororidade?

Como aqui no Desperta, Mulher! minha ideia é levar conhecimento, mas principalmente ação.
Esses foram os passos que eu dei (e ainda dou, pois não é simples) para poder amar e respeitar, mesmo não concordando.

– Observe
Comece a observar a maneira que você fala e trata outra mulher, principalmente quando ela não faz parte do seu circulo de amizades.
Qual a primeira coisa que vem a sua mente sobre ela? Você está julgando negativamente diante de uma situação?

– Não julgar e buscar entender
Se você percebe que está julgando se pergunte: “Da onde está saindo esse julgamento?”.
Provavelmente é de algo que você foi educada para acreditar, mas que não é a realidade.
Fazendo essa observação e esse questionamento sempre que você perceber que está julgando outra mulher, pode te ajudar a descobrir suas próprias crenças e ressignificá-las.

– Cada pessoa é um Universo.
Quando comecei a ressignificar algumas crenças em relação à esse assunto.
Eu pensava muito sobre o quanto cada pessoa tem uma realidade diferente da minha para que isso me fizesse entender o porquê ela pensa daquela forma.
Será que se eu tivesse a realidade dela também não pensaria daquela forma?

Qual a intenção positiva da pessoa agindo assim?

Esse foi um exercício que eu pratiquei por muito tempo e ainda pratico, quando surge algum pensamento indesejado na minha cabeça (Pois vai surgir!).

– Não somos rivais
Isso é algo que você deve ouvir bastante por aí quando se trata de sororidade. Mas não podia deixar de citar esse tópico.
Somos criadas achando que àquela mulher bonita ou que fica com seu namorado/a é sua rival, que precisamos automaticamente ter raiva dela, mas não é assim.
Ela é mulher como você que tem todas as suas cargas de vida e emocionais.
Essa prática seria de você começar a olha a outra pessoa com olhos de empatia e não de rivalidade.
Isso ainda é tão automático em algumas pessoas que você olha e já pensa se ela é sua amiga ou rival, dê uma chance e pense que àquela pessoa pode ter muito a te ensinar.

– Ouvir
Esse é um exercício pra a vida.
Quantas vezes ouvimos de verdade a outra pessoa? Sem ficar pensando no que vai responder? Sem falar sobre si mesma? Sem ficar falando em cima? Só ouvindo MESMO?
Pois é, difícil né?

Ouça mais outras mulheres, as vezes, queremos ajudar e não sabemos como, mas as vezes, a pessoa só precisa ser ouvida de verdade, saber que alguém se importa de verdade!

Com certeza, isso vai gerar uma maior conexão entre vocês.

– Ajude outra mulher com o que você sabe
Passar seu conhecimento ajuda tanto de forma prática, quanto para inspirar outras mulheres a fazerem o mesmo.
Temos muitos talentos que são tão naturais a nós que ignoramos e não passamos para frente, pois achamos que “Ah todo mundo faz!” Mas não é assim.

Experimente mostrar seus talentos ao mundo e a outras mulheres, isso vai te empoderar e consequentemente vai empoderar outras mulheres também.

– Apoie outras mulheres!
Com o Desperta, Mulher! eu percebi na pele o quanto é importante o apoio de outras pessoas nos nossos projetos.
Por isso, apoie suas amigas, primas, tias, mães com seus propósitos de vida.
Talvez aquilo não seja importante para você e isso é normal, pois é o propósito de vida dela, mas mostre apoio, que você está do lado, mostre sua força e mais lembre-se da força que sua amiga tem.
Apesar de serem sonhos, não é tão fácil segui-los, pois é gostoso e desafiador e todo mundo precisa de apoio.
Apoie também o projeto de uma mulher que você viu, mas que não necessariamente conhece.

 

via GIPHY

Tem um grupo no facebook que se chama Compro de quem faz das minas Sampa (E tem em outros estados também).
No grupo, várias mulheres divulgam seus trabalhos e há apoio umas com as outras.

– Una forças!

Como disse anteriormente, o maior objetivo da sororidade é unir mulheres para lutarmos por mais igualdade.

Por isso, procure sempre participar de eventos presenciais de outras mulheres, divulgar o trabalho de outras mulheres, divulgar quando vê alguma injustiça.
Participar de atos à favor da igualdade, conversar com outras mulheres sobre suas ideias, pois assim vocês podem unir forças.
E principalmente, nunca duvidar quando uma mulher desabafa sobre um caso de assédio que sofreu, nós temos essa mania de primeiro questionar se é real, mas na dúvida, sempre acredite. Pois ela estará precisando muito de você.

– Seja grata

Por fim, seja grata por todas as mulheres que você tem na sua vida, até as que você não se entende muito bem.

Todo mundo passa na nossa vida para nos ensinar algo, mesmo que seja difícil você entender agora, nada é  por acaso.
Hoje, depois de muito trabalhar essa questão em mim, pois antigamente eu tinha muitos julgamentos entranhados, consigo ser grata e sentir amor pelas mulheres que vejo na rua.
Pois vejo-as como sinônimo de fortaleza, de superação, pois só nós sabemos as dores e as maravilhas de ser mulher e se não conseguirmos olhar dessa forma para outra mulher, ninguém vai.

Ser grata é a mais linda demonstração de amor ao Universo, Deus (ou o que você acreditar) e é um exercício que fará bem a você e ao mundo.

 

Espero que não tenha restado dúvidas quanto ao tema sororidade, busquei responder as principais perguntas que são feitas nos buscadores.
E para você muito amor, muita sororidade que você consiga quebrar as crenças culturais que estão em você e consiga ver a outra mulher com mais empatia.

E você, pratica a sororidade no seu dia-a-dia? Tem alguma dificuldade?
Conta aí nos comentários!

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *