Relacionamento Abusivo: O que é e como sair dessa?

Segundo Pesquisa Relógios da Violência feito pelo Instituto Maria da Penha, a cada 7.2 segundos uma mulher é vítima de violência física.

E em 2015, a Central de Atendimento a Mulher (182) realizou 1 atendimento a cada 42 segundos.

O que é um relacionamento abusivo?

Um relacionamento abusivo é todo aquele que te deixa pra baixo, te impede, te limita a viver de um jeito ou de outro. Ele pode ser confundido com excesso de proteção, mas não deixa de ser abusivo.
Quando estamos de fora, é fácil enxergar quando está rolando excesso de alguma parte, mas quando estamos dentro do relacionamento e quando este já é mais longo e provavelmente a autoestima da mulher já está abalada, torna-se ainda mais difícil enxergar de forma clara e prática.

Normalmente, falamos desses relacionamentos se referindo a namorados, porém existem abusos por parte de colegas de trabalho, irmãos, mães, pais e a ideia é a mesma. A outra pessoa te diminui de alguma forma. E mesmo sendo por meio de palavras, também pode ser considerado abuso.

Hoje, iremos focar num relacionamento amoroso.

O abusador começa a agir de maneira bem sutil e conforme, não tomamos nenhuma atitude, porque “Ah no fundo, ele é uma boa pessoa!” ou “Foi sem querer!”, a situação vai se tornando mais confortável e vai agindo de forma cada vez pior com sua parceira.

Abaixo alguns sinais sutis (ou não) de que você está num relacionamento abusivo.

(Todas as frases são depoimentos reais de mulheres que já passaram por essas situações).

7 sinais de que você está num relacionamento abusivo:

  • Ciúmes

“Não quero que você fale com fulano”.

Aqui você pode pensar que é só um ciúme bobo e que você também tem ciúmes de algumas pessoas, mas então pode ser que você também seja abusiva.

O que pode acontecer quando você entra num relacionamento abusivo é que você começa a imitar ações da outra pessoa, justamente para que vocês fiquem no mesmo patamar e aí que mora o perigo, pois a relação vai ficando cada vez mais tóxica.

Se você namora e não fala com alguém, essa atitude deve vir de você e não ser tomada por que o outro mandou que você parasse.

Aqui também aparecem os casos de seu parceiro pedir para você colocar outra roupa ou insinuar que seu batom é muito chamativo, muito forte e que gosta de você com um “batom mais clarinho”. E você troca.

Isso é ciúme e também manipulação, pois ele te manipula com a ideia de que tá cuidando de você ou de que você só está fazendo o gosto dele, você só está agradando.

Muito comum também é o cara achar que você trai ele, mesmo você não fazendo nada.

No relacionamento abusivo que eu tive, lembro uma vez que o meu ex começou a brigar comigo no ônibus, pois falou que eu tava olhando para um cara e eu até hoje não sei que cara é esse.

O ciúme é uma questão de insegurança dele e você não precisa bancar isso.

  • Manipulação

“Fiz tal coisa por que queria que você ficasse comigo” ou “Fiz tal coisa pra saber se você tem algum sentimento porque você é muito fria”.

Nesses casos, o cara vai te manipular para fazer o que ele quer fazer, mesmo que você não queira, ele pode encontrar um jeito de fazer tal coisa e ainda vai colocar a culpa em você para que você não reaja de uma forma ruim.

  • Inversão da Culpa

“Porque você é muito brava e eu não queria te acordar”, “Ele me culpava pelos erros dele!”.

Aqui acontece a inversão da culpa, como você pode ter percebido no exemplo acima, isso está bem atrelado com a manipulação. É quando o cara joga a culpa em você por algo que ele fez e que te fez mal de alguma forma.

  • Excesso de “proteção e cuidado”

“Vou te engordar para ninguém mais te querer!” ou “Você precisa emagrecer!”.

Esse sinal vem pintado de excesso de proteção e cuidado, mas na verdade, o que ele está fazendo ativamente é só deixar sua autoestima lá embaixo fazendo com que você comece a acreditar que precisa mudar algo em você mesma.

  • Ele pode e você não.

Outro sinal MUITO comum é quando o cara faz tudo, sai com os amigos, chega tarde, não está nem aí para você, mas quando você faz ou só quer fazer algo, ele usa todas as coisas já citadas acima para te fazer desistir de sair com suas amigas ou fazer algo que você queira, só para não gerar intriga.

  • Ele não te apoia e só te coloca para baixo

Seu parceiro (ou parceira) fala que você não é capaz e não fica feliz com suas vitórias? Mais um sinal!
Normalmente, ele te humilha em público, o que pode deixar sua autoestima pior ainda.
Na minha concepção, isso acontece por que, ele não quer que você se lembre da pessoa maravilhosa que você é e nem que conquiste o mundo lá fora, pois isso vai fazer com que você veja que merece muito mais.

  • Ele é agressivo

É comum que quando isso acontece, o abuso já existe no relacionamento há tempos, pois provavelmente, ele já faz as outras coisas ditas acima.
E o “ser agressivo” não precisa ser diretamente a violência física, ele pode ser agressivo na maneira que fala com você, que desconta em outros objetos e sim, se ele agir diretamente contra você.

Muitas vezes, mesmo que ele faça tudo isso, depois ele pede desculpas e temos a ilusão de que tudo vai ficar bem, mas isso acontece, pois já estamos num ciclo vicioso de aceitar migalhas e esperar mudanças.

A pessoa abusiva te manipula o bastante para que você se sinta pequena demais para encontrar outra pessoa que te queira mais do que “ele”.

Ele faz você acreditar que é isso é o que “tem para hoje!” e você acaba acreditando que é só isso que merece, isso abala sua autoestima e suas crenças sobre você mesma e sobre o que você é capaz de ter na vida.
Por isso, acaba se tornando complicado sair de um relacionamento desse, pois acabamos nos esquecendo de nós mesmas e de quem somos.

Como sair de um relacionamento abusivo?

– Assuma para você mesma!

Acredito que o primeiro passo é assumir para você mesma que: “Sim, eu estou num relacionamento abusivo!”. Mesmo que isso não faça você sair dele imediatamente, aceitar e tornar isso real em sua mente, vai te ajudar muito a começar a tomar uma atitude quanto a isso.

Um relacionamento saudável não é assim! E você não precisa disso.

– Faça coisas por você.
Faça uma lista de coisas que você gostava de fazer para você mesma e separe um tempinho por dia ou por semana para voltar a fazer aos poucos.
A ideia é que você comece a lembrar de você mesma individualmente.

Que comece a lembrar de quem você é para que assim com o tempo, comece a ver o que você realmente merece. E que consequentemente, sua autoestima, aumente.

 

– Converse com uma amiga
Sabe aquela amiga que você sabe que sempre estará por perto, sem te julgar? Aquela que sabe praticar a sororidade?
Chame para conversar e não tenha vergonha de expor o que está acontecendo, mesmo que em um primeiro momento, você peça para ela não contar para ninguém e respeitar seu tempo.

Dar o primeiro passo de contar para outra pessoa é superimportante, pois você não estará mais sozinha e ela poderá servir como um apoio para que você saia dessa.
Fora que é essencial também por questões práticas que você conte a outras pessoas, o que está acontecendo.

– Procure uma psicóloga
Eu recomendo psicólogas para todo mundo que conheço, independente de você ter algum tipo de trauma ou não, eu acredito que a terapia é uma excelente ferramenta de autoconhecimento.
Se você está se sentindo muito dependente emocionalmente e acredita que precisa de ajuda para sair dessa, procure uma psicóloga.
Se você sente que não consegue sozinha, peça para sua amiga procurar para você. Nesse momento, você precisa ser forte o bastante para pedir ajuda e entender que quanto antes, você pedir ajuda, melhor para sair dessa.

Você merece amor!

Sabe aquele poema lindo que diz que o amor tudo tolera, esquece!

Principalmente, agora! Quando estamos passando por um relacionamento abusivo é comum colocarmos a culpa nessas frases de efeito que confirmam ainda mais nossas crenças limitantes sobre o nosso próprio merecimento e nossa visão do que é o amor.

O amor é essência, é puro, não é doloroso, ele tem que te fazer feliz, sorrir, te encorajar a ser alguém melhor, te parabenizar. Imagina um show, sabe aquela pessoa bem animada na primeira fileira? Assim que tem que ser!

E no mais, caso você não encontre já seu relacionamento saudável, você tem que ser a pessoa no palco que fica ainda mais feliz do que a pessoa na primeira fileira.
Afinal, você não precisa de um relacionamento amoroso para ser feliz, você tem a si mesmo e você pode (e deve!) se encher desse amor.

Você pode ter amigas e amigos que te aplaudam, que te deem amor, o amor que você merece ter!

Você não está sozinha!
<3

 

No dia 05 de dezembro às 21h, eu e a educadora emocional Aline Lima estaremos fazendo uma live no insta do @despertamulher conversando mais sobre relacionamento abusivo. Não perca!
 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *