Se você não cuidar do seu corpo, onde você vai viver?

Texto lido em aúdio:

Essa pergunta pode ter soado para você como uma provocação, talvez não tenha te deixado muito confortável,

mas te convido a ler sobre o que tenho a dizer, tenho certeza de que no fim, você irá entender e (talvez) te fará refletir sobre.
Pensei muito como escrever esse texto sem criar uma impressão errada sobre a mensagem que eu quero passar, não quero falar aqui que você PRECISA parar de fumar, nem que você PRECISA fazer aquela dieta famosa e nem para falar que você PRECISA começar a fazer exercícios físicos hoje.

Alias, se você acha que esse texto se trata de dieta fitness e/ou que julga pessoas que tenham um peso diferente do que é posto como “ideal”, você está no lugar errado.

Eu sempre fui muito sedentária e no último ano, isso não estava me deixando orgulhosa, confesso. Foi então que resolvi que esse ano deixaria o sedentarismo de lado de alguma forma e que eu não tivesse gastos financeiros, pois não era minha prioridade financeira agora.

Comecei então a caminhar, algo que eu já tinha feito um pouco há anos atrás e que amava, mas deixei de fazer, depois que fui assaltada e fiquei com medo de tudo (praticamente).

Percebi que as pessoas que iam caminhar em sua maioria eram pessoas mais velhas ou que faziam corrida e porquê? Percebo uma tendência nossa de cuidar do corpo quando aparece alguma doença ou quando o médico manda.

É como estamos acostumadas a viver de maneira geral, vivemos fazendo coisas não para prevenir e sim para curar, tentar tampar o que já existe.

Fazemos isso na nossa educação, onde só estudamos quando precisamos passar numa prova e na saúde, que só cuidamos do nosso corpo quando ele já está mal e precisa ser assim?

Eu vejo o corpo como a nossa morada, é um presente que recebemos ao nascer para que possamos passar por essa experiência na vida, para que possamos viver.

E se o corpo é uma morada, porque não cuidar dele como cuidamos da nossa casa? Não estou falando em dietas, eu acredito que você possa ser saudável e cuidar do seu corpo independente do tipo de corpo que tenha.

É como tratamos nosso corpo, é como você olha para o seu corpo, alias:

Você olha para o seu corpo?

Você conhece as marcas que ele tem e sabe o porquê que ele tem essas marcas?

 

Te convido a olhar no espelho, mas não olhar para o seu corpo como algo secundário, mas pensando que ele é seu, só seu, ele que faz parte de alguns prazeres da sua vida, é ele que faz ser possível você estar nessa vida, seja ela como for.

 

Permita-se lhe dar o mesmo amor que você já deu a tantas pessoas que não mereciam, mas que é seu e você merece!

Seguindo toda a essa linha de pensamento, quero que pense:

Como você tem tratado o seu corpo?

O que de bom você tem colocado nele?

O quanto de amor você tem dado a ele?

O que de tóxico, você tem consumido?

Muitas vezes nos enchemos de bebidas e comidas que nos dão muito prazer, mas que nos destrói de algum modo e na prática, não nos proporciona nada de bom, acredito que isso está profundamente ligado ao fato de que não pensamos na importância que essas coisas tem para o nosso próprio corpo.

Não assimilamos as coisas ruins ao tanto que está fazendo bem ou mal para o nosso corpo, nos simplesmente consumimos, seja porque é nosso hábito, porque precisamos ou porque estamos condicionados a pensar somente no prazer que certas coisas nos dão.

Tonny Robbins fala no seu livro Desperte o seu Gigante Interior que continuamos a fazer algumas coisas, pois ainda associamos mais prazer do que dor àquele hábito e para mim, fez todo o sentido.

Valorizamos tanto o prazer pelas coisas que nem questionamos se aquilo é realmente o que queremos para nós, se aquilo tem haver com o que queremos ser.

A privação total, seja lá do que for, para mim, não é o melhor dos caminhos, pois numa promessa por exemplo, assim que ela acaba é como se tivéssemos loucos através daquele prazer de novo.

A privação total pode nos tirar não só momentos bons, mas principalmente momentos que nos trarão experiência sobre certas coisas e nos darão a liberdade de escolha.

Se a privação total não é saudável, o caminho oposto que seria o consumo abusivo de algumas coisas também não.

Reflita:

O que seu corpo significa para você?

Você cuida dele como ele realmente merece?

Minha proposta é que você comece a pensar no seu corpo como algo que realmente é importante para você.

Por muito tempo, eu cuidei muito da minha mente e confesso que isso ainda é muito parte de mim, mas começar a pensar no meu corpo como minha própria morada, como um instrumento que me faz ter a possibilidade de fazer as coisas que eu quero fazer, me deu outra perspectiva de mim mesma.

Para que você cuide do seu corpo e comece a olhar para ele de forma diferente, não é necessário que você fique 24 horas na academia ou comendo somente coisas saudáveis, claro que se fizer sentido para você, ótimo.

Mas quando eu falo sobre você cuidar melhor do seu corpo, é mudar seu pensamento sobre o que ele representa para você, é não se entupir de coisas que não te fazem bem só porque é mais prático e rápido para fazer, é praticar uma meditação para que te dê uma pausa no meio dessa correria diária.

É você tirar um momento para fazer um ritual só seu, NO MÍNIMO uma vez na semana, se permitir tomar um banho mais demorado, sem pensar no tanto de coisa que você tem que fazer e nas contas que você tem que pagar, passar um creme escutando aquela música que você gosta.

É você dançar e para isso, não precisa entrar naquela aula de dança super cara, não! Sabe aquela música que você sempre amou dançar, mas há tempos não pensava nela? Dance, permita-se sentir um pouco do seu corpo, permita-se sentir presente no momento, permita-se estar presente para você!

Faça como a Meredith de Greys Anatomy que nos momentos em que dá um baixo astral, ela coloca uma música para tocar, dança como se não houvesse mais nada a se fazer e isso dá energia para que ela siga em frente.

via GIPHY

Eu estou fazendo caminhada fazem quase 6 meses, o que já é um avanço, mas ainda como umas besteiras quando quero, mas pensar nisso tudo, me fez refletir a importância que o meu corpo tem na minha vida e como eu trato ele diariamente.

Agora que eu já passei um pouco da minha mensagem e que você já fez todas essas reflexões, posso te perguntar novamente:

Se você não cuidar do seu corpo, onde você vai viver?

Compartilhe:

2 comentários em “Se você não cuidar do seu corpo, onde você vai viver?

  • em
    Permalink

    Excelente sua reflexão sobre o corpo, não sei se acredita ele e3 morada de Deus e na correria não percebemos o mal quebramos a ele; parabéns pela matéria

    Resposta
    • em
      Permalink

      Oi Ana, obrigada pelo comentário <3
      É verdade, as vezes, não percebemos mesmo, mas a observação é o mais importante para começarmos a notar o modo que temos tratado nosso corpo.
      Obrigada.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *