5 lições que o Tony Robbins ensinou em sua palestra!

Tony Robbins é o coach mais conhecido do mundo todo, já atendeu pessoas famosas como Princesa Diana, Bill Clinton, Nelson Mandela.

Tony Robbins além de coach, ele é empreendedor, filantropo e estrategista de negócios. Se você quer conhecer um pouquinho do trabalho dele, pode assistir o documentário “Eu não sou seu guru!”, disponível no Netflix.

No dia 09 de agosto de 2018, Tony Robbins fez sua primeira palestra aqui no Brasil no São Paulo Expo para mais de 11 mil pessoas.

E eu tive a oportunidade de participar e sou muito grata pela vida, pelo que trilhei, pois foram elas que me permitiram ter condições de participar de um evento tão especial quanto esse.

Muita gratidão a tudo!

 

1 – Ofereça para seus clientes uma oferta irresistível!

Pense no seu cliente ideal e ofereça a ele uma oferta que seja IRRECUSÁVEL.

Para passar essa mensagem, ele nos contou o case da Zappos, loja de sapatos famosas principalmente nos EUA, que em meados de 1980, enviou sapatos para seus clientes e não cobraram nem o frete de ida nem o de volta e as clientes poderiam devolver em 365 dias!!!

Loucura, né?  Pode ser, mas muita gente sabe que muitas mulheres amam sapatos e se elas gostam, a chance de devolução é praticamente nula e essa ação que foi chamada de LOUCA por muita gente, fez um super sucesso e mais tarde, a Amazon comprou a Zappos por um pouco mais de 1 bilhão de dólares.

A dica então é pense no seu cliente ideal, conheça seu cliente e pense numa oferta irresistível, mesmo que muita gente o chame de louco, muitas pessoas que fizeram sucesso e são cases hoje são porque tomaram atitudes que saíram foram da caixinha.

Faça um brainstorming (uma chuva de ideias) e vá anotando todas as ideias que surgirem por mais loucas que pareçam ser. Exercícios como esse rendem sempre boas iniciativas.

2 – Todo mundo tem seu lar emocional para qual voltar.

Essa é uma sacada que renderia várias conversas, reflexões e textos e foi uma das mensagens mais importantes da noite, sem dúvida.

Repare em quantas vezes você sente algumas coisas no seu dia, pense nas emoções que mais estavam presentes em você nos últimos 7 dias.

Raiva?

Gratidão?

Desconfiança?

Culpa?

 

Se você identificou alguma emoção que sempre aparece no seu dia-a-dia é muito provável que você esteja viciada a ela.

Por conta do seu lar emocional, você pode se sentir culpada, pode sentir raiva, ciúmes, por isso que às vezes você pode estar com raiva sem motivo ou mesmo não querendo realmente, pois você já está viciada naquela emoção.

Eu já tinha visto esse conhecimento lendo sobre Inteligência Emocional que eu até pretendo falar sobre isso, mais pra frente aqui no Desperta, Mulher!

A sugestão é repare qual é seu lar emocional, qual aquela emoção que você sempre sente, que insiste em voltar e tente mudar esse padrão.

Pense em emoções que você gostaria de experimentar mais no seu dia-a-dia e se permita sentir.

3 – No que você vai focar?

Essa terceira sacada é praticamente uma continuação da segunda, quando falamos de inteligência emocional não é sobre não ter emoções ruins, mas se permitir observar quais são as suas, para assim entender melhor e quebrar o padrão.

Escolhemos diariamente no que vamos focar e normalmente, por termos nosso lar emocional focamos naquelas emoções que já estamos viciadas, justamente porque o seu cérebro já criou linhas neurais que vão diretamente para aquela emoção e acaba virando automático.

Mas se permita pensar: “No que você vai focar?”

Não é fácil, você se fazer essa pergunta quando está no olho do furacão, quando já está viciada naquela emoção, mas a sugestão que Tony nos faz é de se perguntar sempre sobre isso para assim, conseguir reparar em nossas próprias emoções e focar no que realmente importa.

 

No que você vai focar, é o que você vai sentir!
Tony Robbins

Depois dessa pergunta, ele sugere fazer duas outras perguntas:
2 – O que isso significa?

3 – O que você decidiu fazer a respeito?

Todas para te trazer para o presente e te fazer sair do padrão emocional que você tem sentido diariamente, pois o que acontece quando estamos no nosso lar emocional é que não questionamos, simplesmente sentimos.

 

4 – A emoção é criada pelo movimento!

Tony Robbins frisa muito em suas palestras, a importância da energia física para termos garra para colocarmos nossas ações em prática e consequentemente termos resultados reais.

Ele fala que a emoção é criada pelo movimento, isso é, precisamos estar em movimento sempre e repararmos principalmente qual é nossa energia física quando sentimos tais emoções e acabarmos com os padrões.

 

Tudo é padrão!
Tony Robbins

Quando estamos confiantes, agimos de tais formas com o corpo e quando estamos inseguros agimos de outra, porque então não antecipar essa forma na qual nos movimentamos?
Na palestra, ele pediu para fazermos uma dinâmica em dupla, onde uma pessoa faria uma proposta para a outra, mas primeiro sem muita vontade, sem querer realmente e outra vez, fazer a mesma proposta, agora com muita vontade, muita garra, muito interesse e a outra pessoa, teria que verificar a maneira que a pessoa falava, os gestos, o olhar, as expressões faciais.

Eu fiz o exercício com outra pessoa e ela me falou como agi em cada uma das situações, na primeira, eu estava mais cabisbaixa, sem olhar nos olhos, na segunda situação, meus olhos se abriram, eu sorri mais, fiz mais gestos com a mão, ou seja, emoções são criadas pelo movimento! (E confesso que eu me senti realmente melhor da segunda vez.).

Lembrando que essa foi uma dinâmica onde a proposta não era real, ou seja, eu estava fingindo, mas mesmo assim, os movimentos foram genuínos, deu para perceber os padrões que eu mesma tenho quando estou em situações boas ou ruins.

É legal fazer esse exercício para observar como você mesma se comporta e para tentar levar os movimentos para momentos que você quer ter emoções melhores.

Tem uma frase que rola bastante entre as pessoas do mundo do autoconhecimento que é:

“Fake it til you make it” ou seja, finja até dar certo! O cérebro não sabe distinguir o que é real e o que não é, então porque não implantar as suas boas emoções, seus bons movimentos até que eles virem padrão?

Se você pensar em algo triste, provavelmente você ficará triste, se pensar em algo que te deixa com raiva, provavelmente é assim que você vai ficar e porque não podemos criar mais emoções felizes?

Ainda na questão da energia física, a palestra do Tony tem muito movimento, muita energia, ele pede bastante para pularmos, nos movimentarmos, pois ele realmente acredita no poder de estarmos em movimento e é algo que acredito que seja um diferencial no método dele, pois ele nos mostra o quanto podemos criar energia através do movimento e não estou falando necessariamente de exercícios físicos; na palestra, por exemplo, ele pediu para simplesmente nos mexermos, tirarmos o pé do chão e isso já dava uma energia tremenda.

No fim, a mensagem que fica sobre isso é do quanto estarmos em movimento é importante, o quanto precisamos lembrar que o nosso corpo é fonte de energia e o quanto podemos criar uma postura melhor, mais feliz, com mais energia, só reparando o quanto estamos nos portando diante da vida.

5 – Viva o presente!

Isso não foi ele que falou exatamente, mas foi uma coisa que percebi enquanto estava refletindo o que foi a palestra do Tony para mim.

Cada vez que assisto a uma palestra ou participo de um curso, vejo o quanto todos os conselhos, técnicas, sugestões seriam resumidas em: Viva o presente!

E quando eu falo isso, não estou querendo passar a mensagem de “Carpe diem”, “aproveite a vida”, não é isso, o que quero dizer é que quando vivemos o presente, conseguimos observar mais como nos sentimos com as situações, quais são nossas ações, como tratamos outras pessoas, não temos aquele medo que nos para e consequentemente, nossa vida fica melhor.

Percebo que desde comecei minha caminhada no autoconhecimento com os cursos, formações, livros, tenho me percebido mais no presente, não que eu esteja totalmente, pois é a lição mais difícil de se colocar em prática, mas talvez, no fim, tudo que aprendemos nos leva a conseguir isso, viver o presente para observarmos quem somos e sermos quem queremos ser.

Tenho certeza de que essas sacadas já te deram o que pensar, a palestra do Tony Robbins durou 4 horas, mas tenho certeza de que cada pessoa levou alguma mensagem diferente, essas foram as que mais me marcaram.

Comenta aí o que achou dessas sacadas e se caso, você também tenha ido a palestra do Tony Robbins que rolou aqui no Brasil, comente quais outras sacadas rolaram para você!

 

Compartilhe:

2 comentários em “5 lições que o Tony Robbins ensinou em sua palestra!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *