Você é uma pessoa reativa?

Segundo o dicionário, reação significa o comportamento de um ser vivo manifestado em presença de um estímulo. Quando reagimos estamos agindo em resposta a ele.

Então quando pergunto se você é uma pessoa reativa. Quero dizer se você reage automaticamente ao estimulo do outro, quando falamos prioritariamente de uma conversa, de uma discussão, de algo que gere um certo tipo de gatilho em você.

Costumo sempre fazer essa pergunta para minhas coachees, principalmente quando estamos falando sobre equilíbrio emocional.


Muitas coachees buscam equilíbrio emocional por se verem estressadas quase que diariamente, percebem que quando qualquer coisinha que acontece sai do planejado, é como se fosse o fim do mundo e aí ela acaba descontando em outras pessoas. E no fundo, sabemos que isso não é equilíbrio emocional até porque se observarmos, isso também nos faz mal.
Se identificou?


Eu tinha um temperamento bem difícil e era bem reativa, respondia grosseiramente sem a necessidade de que isso acontecesse, mas muitas coisas me ajudaram nesse processo de se reconhecer dessa forma e sentir necessidade de mudança.


Ta ok, já sei que sou uma pessoa reativa, mas como mudar isso?

Paciência e respeito com você mesma.

Sinto muito a necessidade de mudanças automáticas vindo das pessoas, acredito que isso venha da forma como nossa geração aprendeu a ter tudo fácil e rápido nas mãos, mas eu acredito muito numa mudança linear e recorrente, principalmente quando falamos em mudanças internas.


Criamos centenas de hábitos e padrões durante a vida e quando percebemos uma “falha” queremos mudar num minuto.

E não é assim, se respeitar também é um passo para seu equilíbrio emocional. Afinal, você não fica estressada, triste por nada, precisamos respeitar esses momentos e entender o porquê que ele esta presente na sua vida hoje.

Inclusive, recomendo o filme Divertidamente. Assista com um olhar mais observador e de aprendizado, tenho certeza de que vai te trazer muitas mensagens sobre equilíbrio emocional.
Pronto, já aceitou que tem que se respeitar?

Listas e mais listas ♥

Faça uma lista durante um tempo anotando tudo o que não te faz bem e tudo o que te estressa.
Eu gosto bastante de passar esse exercício para minhas coachees, pois apesar de ser um exercício muito simples, ele traz consciência sobre nossas próprias emoções.
Caso você seja uma pessoa que se estressa muito e que tudo te tira do seu centro, faça o exercício durante 2 dias, caso você não seja tanto, faça durante uns 5 dias, pois ai você consegue detectar padrões emocionais.

Detectando padrões emocionais questione cada um deles.
Se você fez a listinha e percebeu alguns padrões, questione-os.
Tire um tempo de qualidade para questionar:

Porque tenho esse padrão emocional?

Qual atitude que possa colocar no lugar desse padrão emocional? Por exemplo, toda vez que eu me estressar no transporte público, vou respirar conscientemente até voltar para o meu centro.

Qual o lado positivo desse padrão?

Tudo o que fazemos tem uma justificativa para nós mesmas, mesmo que a principio não faça sentido. Então questione-se qual é o lado positivo desse seu padrão emocional? Proteção? Medo?

Por conta de experiências anteriores, podemos nos fechar, criando um escudo e sendo grossa ou indiferente com todo mundo ao nosso redor. Isso é uma forma de proteção.

Mas será que essa proteção vale a pena? Será que você também não está deixando sua essência de lado por conta do medo de se machucar? Será que você não está ferindo outras pessoas?


Respire.

Só essa dica já seria o bastante.
Antes de responder qualquer pessoa, principalmente quando está com raiva (fica mais fácil depois que você percebe seus padrões), respire profundamente contando até 10, 100, se for preciso.

A respiração vai te trazer de volta a sua consciência, isso ajuda a não ser reativa, pois com a respiração você pode questionar. Se vale a pena continuar tal conversa, discussão etc.

Você já ouviu a frase: Prefira ter paz a ter razão?
É exatamente isso!

Quando somos pessoas reativas, temos vários motivos do cérebro para isso, principalmente a parte de proteção que falei acima, mas será que compensa algumas discussões só para mostrar que você tem razão?

Dependendo do tipo de discussão, você pode perder muita energia só para provar uma razão, mas ao mesmo tempo, isso pode estar te gerando angústia, ansiedade, mal estar etc. Compensa trazer esse mal para você?

O mestre espiritual Echkart Tolle diz que devemos experimentar não reagir a uma conversa difícil, pois quando reagimos, quando queremos responder mostrando ter razão é só nosso ego preocupado que quer ter razão o tempo todo.

Echkart pede para fazermos o teste de não reagir, respirar e não responder prontamente. Pode ser que no começo seja uma situação completamente desconfortável, mas depois ele diz que você terá a percepção de que sua consciência se expandiu.

E por fim, gostaria de deixar uma dica que é para vida e não só se tratando desse assunto especificamente:


Não faça suposições

Provavelmente já dei essa dica por aqui, mas por que ela sempre para muitas coisas. Quando fazemos suposições sobre alguma situação ou alguém, achamos que sabemos o que vai acontecer, o que a pessoa está pensando ou simplesmente, sabemos.

Quando fazemos suposições saímos do momento presente e ficamos imaginando o futuro ou até mesmo especulando coisas do passado para provar nossa teoria e ao fazer isso, começamos a gerar diversas emoções que as vezes, nem precisaria ter sido gerada, já que é simplesmente uma suposição.

Quem nunca ficou com raiva de algo e depois viu que não era nada daquilo e se arrependeu?

Observe seu modo de falar com o outro, suas respostas e principalmente, suas emoções e mais uma vez, respeite seu momento, não espere que a mudança chegue a você de uma hora para outra.

Ela acontecerá se você estiver empenhada em agir e ser alguém mais consciente e melhor para você e consequentemente para as outras pessoas.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *