O que podemos aprender com Duas Vidas?

  • O texto contém spoiler, sugiro assistir o filme antes e depois vir aqui para refletirmos sobre o filme.

Russ é bem-sucedido em sua carreira, viaja bastante, é respeitado, porém vive de mal pro mundo e estressado com tudo que acontece ao seu redor, é solteiro e tem um relacionamento difícil com seu pai.

Um dia, aparece um menino de oito anos em sua casa que ele descobre que é ele quando criança, a criança começa a questionar sobre como é sua vida e começa a entender que ele era um fracassado, que nenhum dos seus pais, como o de ter um cachorro chamado Charles e ser piloto de avião virou realidade.

No decorrer do filme, vemos Russ com dificuldade de entender o que aquela criança estava fazendo ali e também porque não lembrava nada da sua infância.

Cansado de resistir, Russ pede para que o menino conte tudo sobre sua infância, até eles entenderem o porquê de tudo aquilo estar acontecendo e entendem.

Eles descobrem juntos que o menino se sentiria culpado pela morte da mãe e de como o pai dele o tratava e por isso, no decorrer da vida se sentia e tinha virado, segundo ele, um fracasso.

O filme mostra um verdadeiro processo de resignificação de crenças limitantes, tanto que no final do filme, Russ grita “Eu não sou um fracasso!” Ressignificando a crença que teve pela vida toda.

Podemos ver o quão é poderoso o que acreditamos e o que ele pode mudar nossa vida toda, além disso, o filme nos leva a questionar sobre a nossa própria vida e se caso conversássemos com nossa criança, se ela ficaria orgulhosa de quem nós tornamos.

A viagem dentro de nós, a viagem pela nossa infância, pela nossa criança interna é um processo altamente profundo, pois nos leva a perceber como muitas vezes esquecemos-nos de ser quem queríamos ser para sermos o que aconteceu na nossa vida.

Nos deixando levar por sonhos que nos foram impostos e que muitas vezes não questionamos.

O filme pode ser passado para um coachee que tenha problema com crenças limitantes e também para que o coachee reflita sobre seus próprios sonhos e também mais profundamente sobre legado.

Você irá deixar o legado que gostaria de deixar, se continuar na vida que tem hoje?

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *