Como investir meu dinheiro? 3 formas diferentes de investimento.

Antes de qualquer coisa, vale a pena esclarecer o que de fato é investir.

Investir é aplicar o seu dinheiro com o objetivo de multiplicá-lo, ou seja, você espera de resgatar um valor maior do que investiu.

A partir deste conceito, fica fácil compreender que algumas pessoas usam o termo investimento de forma equivocada, por exemplo:

Há quem afirme que pagar os estudos do filho é um investimento, no entanto, ninguém espera recuperar efetivamente esse valor no futuro com juros e correção monetária. Logo, pagar os estudos do filho não é um investimento.

Por outro lado, comprar roupas direto da fábrica e revender a um preço mais alto, pode ser chamado de investimento, pois o dinheiro está sendo utilizado com a finalidade de gerar um valor maior no futuro.

Existem várias formas de investir e eu quero destacar 3 delas:

1- Fazer aplicações no mercado financeiro

Essa é a primeira hipótese que vem à nossa mente quando pensamos em investimentos.

Nos últimos anos, houve uma grande popularização dos investimentos no mercado financeiro. Inclusive, as mulheres têm ganhado cada vez mais representatividade na bolsa de valores.

Tornou-se muito simples, em questões práticas, investir no Tesouro Direto e comprar ações. Basta solicitar ao seu gerente do banco ou cadastrar-se em uma corretora de valores para começar a investir. Muitas aplicações podem ser feitas por você mesmo, online. Basta um click!

Mas cuidado! Embora efetuar o comando para aplicar seja simples, escolher qual aplicação fazer nem sempre é tão fácil.

Ainda que decida delegar a gestão dos seus investimentos para um gestor profissional, convém saber minimamente o que levar em consideração na hora de escolher onde investir seu dinheiro, para poder avaliar se a conduta do gestor está alinhada aos seus objetivos.

Saber um pouco sobre o contexto macroeconômico do país, as expectativas para o futuro da Selic, da Inflação e do Câmbio, conceitos como Liquidez, Risco, Rentabilidade são imprescindíveis para quem pensa em investir no mercado financeiro.

Se esse é o seu caso, ESTUDE!

2- Financiar projetos de outras pessoas

Uma outra forma de investir é emprestar o seu dinheiro para pessoas que tenham projetos com bom potencial de rentabilidade. Nesse caso, devemos considerar o retorno e o risco envolvido no projeto.

Há várias metodologias para mensurar o risco e o retorno esperados de um projeto, mas não pretendo entrar em termos muito técnicos nesse texto.

A lógica por trás dessas metodologias é basicamente identificar qual é o potencial de geração de lucro daquele projeto no futuro e avaliar se será possível receber a remuneração que você deseja.

Financeiramente falando, a rentabilidade esperada do projeto deve ser maior ou igual ao valor que você ganharia investindo seu dinheiro em uma outra aplicação com menor risco.

Vale lembrar que diferentes cenários devem ser considerados, pois nada no mundo dos negócios é estático: a economia muda o tempo todo, o desenvolvimento tecnológico é cada vez mais rápido e nosso país é uma “caixinha de surpresas” quando se fala em política.

Essa pode ser a sua chance de apoiar projetos com os quais se identifica, sem precisar efetivamente trabalhar neles.

3- Empreender

Essa é a forma de investir para quem gosta de por “a mão na massa” ou decidiu realizar o sonho de implementar um projeto pessoal.

Gosto muito de trabalhar com esse público nos meus processos de Coaching para Empreendedores, pois de forma indireta, eu os ajudo na realização desse sonho.

Empreender é investir porque você usa o seu dinheiro para abrir um negócio e espera ter lucro com isso. Mas para ter lucro, não basta uma grande ideia alinhada com seu propósito de vida, embora isso seja importantíssimo.

Uma boa Gestão Financeira é ponto crucial em todas as etapas do negócio.

– Antes de “abrir as portas” é necessário calcular bem o capital necessário para implantação e para sustentação do negócio nos primeiros meses, enquanto o lucro ainda não é suficiente para a manutenção das contas equilibradas.

– Depois do seu negócio estar em pleno funcionamento, é necessário avaliar constantemente sua rentabilidade, fazer planejamento de curto, médio e longo prazo, estipular metas, elaborar estratégias e definir quais ações são necessárias para cumprir o plano e desenvolver um processo de acompanhamento e avalição dessas ações.

Empreender é assumir algum risco.

Empreender, sem fazer gestão financeira, é pular do precipício!

Na verdade, não existe uma forma melhor ou pior de investir, mas existe a forma mais adequada a você, para que possa atingir mais rapidamente suas metas. Por isso, tenha clareza dos seus objetivos antes de fazer qualquer investimento. Pergunte-se sempre:

Eu vou investir por qual motivo?

O que eu vou fazer com esse dinheiro gerado por esse investimento no futuro?

 

Espero ter ampliado um pouco o seu horizonte a respeito das possibilidades de investimentos.

Na próxima publicação, escreverei sobre os pré-requisitos básicos para quem quer começar a investir e não deixe de ler o texto que passo dicas de como gastar de forma mais consciente.

Não percam!

Beijinhos
Patricia Panochia
Coach de Vida Financeira

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *